Empreendedorismo de palco - a nova moda.

March 9, 2018

 

O mercado de palestras está sendo inundado por profissionais que estão migrando de outras áreas. Mágicos, atores, músicos, empresários, vendedores e muitos outros profissionais têm migrado para a área de palestras nestes últimos anos. Os altos valores pagos por uma palestra, a sensação de autorrealização ao arrancar risos e aplausos da plateia e os milhares de seguidores nas redes sociais atraem muitos curiosos para esse glamoroso nicho de mercado.

 

A princípio, surge uma indignação pelo alto nível de pessoas desqualificadas que buscam o filé mignon sem querer roer o duro osso dos estudos ou da preparação para entregar um serviço de alto valor agregado para o cliente. Passada a indignação e tentando usar uma lente bem positiva, surge a alegria e a motivação por tamanha adversidade e competição desleal que todos nós enfrentamos. Resumindo, essa é a chance de crescermos e assim agregarmos ainda mais ao nosso cliente e ao mercado.

A zona de conforto só é boa quando estamos longe dela ou quando não temos a intenção de desenvolver o nosso maior potencial. Aventureiros sempre existirão em toda e qualquer profissão. Entretanto, os que “permanecerão” serão aqueles que se aprofundaram no conhecimento e principalmente agregaram positivamente. E quando falo “permanecerão”, não estou me referindo ao mercado, pois muitas vezes o mercado aceita qualquer coisa. Estou me referindo às pessoas ou organizações que tiveram ou terão as suas histórias mudadas positivamente por terem ouvido as palavras certas na hora certa.

 

Como mágico profissional que fui, eu sei muito bem o valor que agrega um show de mágicas para uma plateia. Risos, diversão e muita ilusão criam uma experiência muito positiva de um, dois ou até três dias na cabeça de uma audiência. Porém, um conteúdo bem estudado e apresentado da forma correta pode expandir a mente de uma pessoa e muda-la para sempre. E essa é a missão do verdadeiro palestrante, em uma hora e meia e apresentação, transformar vidas através do conhecimento e não apenas fazer rir ou conquistar aplausos para si. Imagine se pudéssemos abrir a cabeça do ser humano com um machado, colocar lá dentro vários conhecimentos, ferramentas e motivação para essa pessoa usar isso diariamente e costurar a cabeça novamente. Esse é o nosso papel. Por isso, esse momento que estamos vivendo nos estimula a buscarmos a melhores ferramentas, não aquelas tiradas de blogs alheios ou do Wikipédia, mas sim de livros profundos e validados empiricamente ou do conhecimento empírico validado por livros profundos. Whatever! Esse momento nos estimula a sermos criativos em nossa forma de passar o conteúdo, mas sem perder de vista a nossa missão. Estimula-nos a nos tornarmos a melhor versão de nós mesmo, mostrando que somos o exemplo vivo de tudo que vendemos no palco.

 

Sonhar com uma casa bacana, um bom carro e ótimas viagens é fácil. Todavia, que o nosso sonho seja ser reconhecido na rua com um tapinha nas costas e com o comentário agradecido do tipo “obrigado, as suas palavras mudaram a minha vida!” Ficaremos felizes por escutar isso, mas conscientes de que não foram as nossas palavras que mudaram alguma coisa. Elas só foram a faísca para acordar pessoas que já eram extraordinárias mas que estavam “adormecidas”.

 

Que a nossa missão seja a gloria e a transformação do ser humano que nos assiste e não a nossa glória. Que os aplausos ao final de cada apresentação não satisfaçam o nosso ego, mas que sejam reflexo de que nosso conhecimento agregou valor à vida de pessoas que, em sua maioria, nem sequer conhecemos, mas que confiaram em nós e em nossas palavras. Que sejamos figuras de transição para estas pessoas, ou seja, que a vida do nosso cliente fique um pouco melhor por terem esbarrado na nossa. Que isso nos estimule a ler mais, pesquisar mais e amar mais o nosso cliente. Por que essa é a nossa missão, fazermos um mundo melhor através de pessoas melhores.

 

Prof. Marcelo Sattin é professor de Liderança do MBA da Franklin Covey e ex-professor de Criatividade e Inovação da FAAP. Ele também é Mestre em Criatividade e Inovação (Portugal) e apaixonado por desenvolvimento de pessoas. Marcelo Sattin acredita que o ser humano pode se tornar incrível quando o seu potencial é bem desenvolvido. Ele também foi mágico profissional por 17 anos.

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Ownership – Como gerar isso dentro de nossos colaboradores?

September 4, 2018

1/10
Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags
Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square